Buscar
  • GC Medicamentos

Gripe, resfriados, alergia e coronavírus: conheça as diferenças e saiba como se proteger


O avanço do coronavírus no Brasil tem provocado dúvidas em relação aos sinais e sintomas que causam a doença Covid-19, já que se assemelham aos da gripe, que em casos graves pode causar a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG). No entanto, os sintomas da gripe também se confundem com resfriados e alergias respiratórias.

Dra. Kelem Chagas, gerente médica de vacinas da Sanofi Pasteur, explica que os causadores de cada uma dessas manifestações são diferentes:


  • A doença denominada Covid-19 é causada pelo coronavírus (SARS-CoV-2), família de vírus que causam infecções respiratórias.

  • A gripe é provocada pelo vírus influenza, que conta com três cepas (A, B e C) e circula com maior frequência no período de outono/inverno em decorrência das baixas temperaturas e umidade do ar.

  • Resfriados, por sua vez, são causados pelo rinovírus humano (e outros vírus), que provoca sintomas mais leves que a gripe e pode se propagar em todas as estações do ano, não restrito ao período mais frio e seco.

  • As alergias respiratórias são desencadeadas por reações do sistema imunológico a substâncias (antígenos) suspensos no ar que envolvem as vias aérea superiores, provocando rinite alérgica, e as vias aéreas inferiores, desencadeando crise de asma.

Sintomas comuns – Tanto pessoas com gripe, como os pacientes infectados por coronavírus apresentam febre alta, sintoma que não aparece nos quadros de resfriados e alergias; dores de cabeça também surgem com frequência em quem está com gripe e podem atingir indivíduos com Covid-19; já os espirros são comuns em quem está resfriado ou em alérgicos; enquanto a congestão nasal, pode se manifestar em indivíduos com gripe, resfriado ou alergia, mas não são comuns em casos de infecção por coronavírus.


Diferenças e similaridades

Quando se fala em gripe, por ser um vírus altamente transmissível, a vacinação é uma das formas mais efetivas de evitar a contaminação e proliferação da influenza e faz parte do Programa Nacional de Imunizações (PNI), do Ministério da Saúde.


“A vacina da influenza não protege contra o coronavírus. No entanto, em decorrência tanto do coronavírus como do vírus influenza circularem no mesmo período, o objetivo é minimizar os riscos de infecção e facilitar o diagnóstico diferencial”, explica Dra. Kelem.

É importante reforçar que a vacinação deve ser feita anualmente já que o vírus sofre mutação constante e a circulação de cepas também é alterada a cada ano. Na rede pública, a vacina disponível é a trivalente, que imuniza contra três tipos do vírus influenza: duas cepas do tipo A e uma do tipo B. Na rede privada, fica disponível também a vacina quadrivalente, que oferece proteção ampliada contra as duas cepas A e duas B, imunizando contra quatro tipos de vírus.

A prevenção contra o coronavírus neste cenário em que vacinas estão em fase de pesquisa e desenvolvimento deve ser seguir as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde, que consiste no isolamento social e higienização frequente das mãos, objetos e espaços.




Fonte: https://guiadafarmacia.com.br/gripe-resfriados-alergia-e-coronavirus-conheca-as-diferencas-e-saiba-como-se-proteger/

4 visualizações

R. Gov. Jorge Lacerda, 1363 - Alto Feliz, Araranguá - SC, 88905-090